quarta-feira, 30 de novembro de 2016

AVISO À POPULAÇÃO - PRECIPITAÇÃO, QUEDA DE NEVE E VENTO

Qual é a situação?

De acordo com a informação meteorológica, prevê-se para as próximas 24 horas um agravamento das condições meteorológicas, salientando-se a ocorrência de:​
  • Precipitação intensa no Minho e Douro Litoral, atingindo, de forma sequencial, a Serra do Gerês, a Serra de Montemuro e a Serra da Estrela, com valores que poderão atingir 30 a 40 mm em 6 horas. Prevê-se ainda intensificação do vento de sudoeste a partir das 21 horas de hoje, a prolongar-se durante o período noturno;
  • Precipitação intensa, na madrugada do dia 25 de novembro na região Centro (com valores que poderão atingir 20 mm em 6 horas), não sendo de excluir a possibilidade da região Sul, em particular os distritos de Lisboa e Setúbal, poderem ser afetados por este fenómeno de precipitação forte;
  • Queda de neve à cota dos 1000/1200 metros, descendo para a cota dos 800 metros durante a noite, podendo, nas serras do Gerês e Montemuro e na região de Chaves e Montalegre, serem atingidos valores de 40 mm de neve, em 12 horas

Acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt 
 
​​
O que pode acontecer?

Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:
  • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo;
  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;
  • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.
Como pode proteger-se?

A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:
  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;
  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Proceder à colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando se possível a circulação e permanência nestes locais;
  • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos muito próximos da orla marítima;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Prevenir o Outono

Com a chegada do outono iniciam-se as primeiras chuvas. 

É o começo do Ano Hidrológico, época em que podem ocorrer com frequência as seguintes situações:
  • Inundações urbanas causadas por acumulação de águas pluviais devida à obstrução dos sistemas de escoamento (sarjetas, sumidouros, valetas) por folhas de árvores caídas, bem como detritos vegetais e outros inertes acumulados durante a última estação seca;
  • Cheias ao longo dos cursos de água em consequência do transbordo dos seus leitos menores;
  • Movimentos de massa ao longo de vertentes e taludes (deslizamentos, derrocadas e outros) em resultado de fenómenos de instabilidade provocados por infiltração de água pluviais, remoção do coberto vegetal (por exemplo, na sequência de incêndios rurais) e/ ou impermeabilização de solos
  • Contaminações de fontes de água potável por inertes 
  • Arrastamento de objetos soltos para as vias rodoviárias
  • Desprendimento de estruturas amovíveis ou deficientemente fixadas por ação de ventos fortes
Face a este cenário, a ANPC recomenda à população que adote as medidas de precaução adequadas para fazer face à situação.

Saiba como agir. Consulte os folhetos sobre:​​​​

A TERRA TREMEU no JI de Alto Soutelo


O Jardim de Infância de Alto Soutelo enviou-nos fotos da Atividade

A TERRA TREME

Olha só que divertidos os nossos meninos estão!!!
E assim se aprende em pequenino...
















quarta-feira, 12 de outubro de 2016

A TERRA TREME


EXERCÍCIO PÚBLICO DE CIDADANIA NO ÂMBITO DO RISCO SISMICO

O exercício nacional A TERRE TREME, terá lugar amanhã, 13 de outubro, às 10h13.
Esta iniciativa, promovida pela Autoridade Nacional de Proteção Civil e que tem a duração de apenas 1 minuto, procura chamar a atenção para o risco sísmico e para a importância de comportamentos simples que os cidadãos devem adotar em caso de sismo, mas que podem salvar vidas.
Muitas zonas do globo são propensas a sismos e Portugal também é um território suscetível, com zonas particularmente sensíveis a este risco.
Nós podemos estar em qualquer lado quando começar um sismo: em casa, na escola, no trabalho ou mesmo de férias. Colocamos a pergunta – estamos preparados para enfrentar uma situação de sismo e recuperar dela rapidamente?
Aproveite a ocasião para relembrar os procedimentos que deve adotar antes, durante e depois de um sismo, a começar pela sua casa e a sua família.

ANTES

O que fazer:

  • Informe-se sobre as causas e efeitos possíveis de um sismo na sua zona. Fale sobre o assunto de uma forma tranquila e serena com os seus familiares e amigos.
  • Elabore um plano de emergência para a sua família.
  • Certifique-se que todos sabem o que fazer, no caso de ocorrer um sismo.
  • Combine previamente um local de reunião, para o caso dos membros da família se separarem durante o sismo.
  • Prepare a sua casa por forma a facilitar os movimentos, libertando os corredores e passagens, arrumando móveis e brinquedos.
  • Organize o seu kit de emergência: reúna uma lanterna, um rádio portátil e pilhas de reserva para ambos, bem como um extintor e um estojo de primeiros socorros.
  • Armazene ainda água em recipientes de plástico e alimentos enlatados, para dois ou três dias (atenção: verifique com periodicidade os prazos de validade destes componentes).
  • Identifique os locais mais seguros, distribuindo os seus familiares por eles: vão de portas interiores, cantos de paredes-mestras, debaixo de mesas e de camas.
  • Mantenha uma distância de segurança em relação a objetos que possam cair ou estilhaçar.
  • Conheça os locais mais perigosos: junto a janelas, espelhos, candeeiros, móveis e outros objetos. Elevadores e saídas para a rua.
  • Fixe as estantes, os vasos e floreiras às paredes da sua casa.
  • Coloque os objetos pesados, ou de grande volume, no chão ou nas estantes mais baixas.
  • Ensine todos os familiares como desligar a eletricidade e cortar a água e o gás.
  • Tenha à mão, em local acessível, os números de telefone de serviços de emergência.

DURANTE

o que fazer se está dentro de casa ou dentro de um edifício


  • Se estiver num dos andares superiores de um edifício, não se precipite para as escadas.
  • Nunca utilize elevadores.
  • Abrigue-se no vão de uma porta interior, nos cantos das salas ou debaixo de uma mesa ou cama.
  • Mantenha-se afastado de janelas e espelhos.
  • Tenha cuidado com a queda de candeeiros, móveis ou outros objetos.

o que fazer se está na rua

  • Dirija-se para um local aberto com calma e serenidade, longe do mar ou cursos de água.
  • Não corra nem ande a vaguear pelas ruas.
  • Mantenha-se afastado dos edifícios (sobretudo dos mais degradados, altos ou isolados) dos postes de eletricidade e outros objetos que lhe possam cair em cima.
  • Afaste-se de taludes, muros, chaminés e varandas que possam desabar.
  • Se está num local com grande concentração de pessoas
  • Fique dentro do edifício, até o sismo cessar. Saia depois com calma, tendo em atenção as paredes, chaminés, fios elétricos, candeeiros e outros objetos que possam cair.
  • Não se precipite para as saídas. As escadas e portas são pontos que facilmente se enchem de escombros e podem ficar obstruídos por pessoas que tentam deixar o edifício 
  • Nas fábricas mantenha-se afastado das máquinas que podem tombar ou deslizar.

o que fazer se está a conduzir

  • Pare a viatura longe de edifícios, muros, taludes, postes e cabos de alta tensão e permaneça dentro dela.

DEPOIS

o que fazer

  • Mantenha a calma e conte com a ocorrência de possíveis réplicas.
  • Não se precipite para as escadas ou saídas. Nunca utilize elevadores.
  • Não fume, nem acenda fósforos ou isqueiros. Pode haver fugas de gás.
  • Corte a água e o gás e desligue a eletricidade.
  • Utilize lanternas a pilhas.
  • Ligue o rádio e cumpra as recomendações que forem difundidas.
  • Limpe urgentemente os produtos inflamáveis que tenham sido derramados (álcool ou tintas, por exemplo).
  • Evite passar por locais onde existam fios elétricos soltos.
  • Não utilize o telefone, exceto em caso de extrema urgência (feridos graves, fugas de gás ou incêndios).
  • Não circule pelas ruas para observar o que aconteceu. Liberte-as para as viaturas de socorro.


Este ano letivo vamos estar ainda mais atentos ao que nos rodeia!
Relembra os 3 P da Proteção Civil: 

PREVENIR, PLANEAR, PROTEGER

quarta-feira, 13 de julho de 2016

FÉRIAS!

Acabou mais um ano letivo!
Estamos em período de descanso para voltar cheios de energia em setembro!
Toma todas as precauções necessárias para passares um verão feliz e até já!


sexta-feira, 3 de junho de 2016

DIA DO AERT

No dia 3 de junho celebrou-se na nossa escola EB23 o Dia do Agrupamento.

Todas as EB1 e JI do AERT nos vieram visitar e puderam assistir a diversas atividades, participar em algumas e ver exposições... 

no âmbito do nosso Clube, recebemos o ACP que veio dinamizar uma atividade relacionada com a segurança na estrada. 
Ficam aqui algumas fotos...







terça-feira, 17 de maio de 2016

Participação na atividade “Conviver em Segurança” do 3ºA – E.B.1 Alto de Soutelo



No dia 22 de abril, todos os alunos da nossa escola (E.B.1 Alto de Soutelo) foram até à EB2/3 de Rio Tinto de autocarro. A viagem foi alegre porque fomos o caminho todo a cantar.
 Logo à entrada da EB2/3 havia uma exposição com carros de polícia, bicicletas e manequins com a farda que os policiais utilizam. Vimos também um carro dos bombeiros. A seguir descemos umas escadas e tivemos uma aula de dança e ginástica no campo de futebol. Encontramos amigos que já tinham andado na nossa escola.
No final da aula, vimos a equipa cinotécnica do Porto a fazer demonstrações de resgate a pessoas em perigo e alguns exercícios com os cães. Os cães faziam coisas incríveis, saltavam, passavam por arcos e faziam-se de “mortos”.

No final brincámos um bocadinho e fomos para o autocarro de volta à nossa escola. Gostámos muito desta atividade! 



quarta-feira, 11 de maio de 2016

sexta-feira, 22 de abril de 2016

EDUCAR EM SEGURANÇA

No dia 22 de abril, na Escola EB23 de Rio Tinto, recebemos várias forças de segurança e todo o Agrupamento esteve presente para assistir à demonstração cinotécnica pela PSP do Porto e visitar as viaturas dos diferentes agentes:


PROTEÇÃO CIVIL DE GONDOMAR
PSP PORTO 
ESCOLA SEGURA
POLÍCIA MUNICIPAL
BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE RIO TINTO


















Muito obrigada a todos pelo empenho e participação!
Não esquecer a regra dos 3P's da Proteção Civil:

PREVENIR, PLANEAR, PROTEGER!


terça-feira, 19 de abril de 2016

Visita de estudo aos Bombeiros da Areosa / Rio Tinto



No dia 16 de março o Clube visitou o quartel dos bombeiros de Rio Tinto.

Fomos muito bem recebidos pelo Sr Comandante, que nos fez uma visita guiada bastante completa pelas instalações e nos deu a conhecer as funções dos homens e mulheres que ali trabalham!

Foi um prazer conhecer gente tão empenhada em manter-nos a salvo.

Obrigada pela vossa dedicação!