sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

LISBOA PINTADA DE BRANCO A 17 DE JANEIRO



 
"Estamos sob efeito de uma depressão centrada a oeste da Península Ibérica, às quais estão associadas linhas com forte instabilidade", afirmou Madalena Rodrigues.
Segundo a meteorologista, o fenómeno da forte queda de granizo deveu-se a "uma estrutura supercelular, que se começou a organizar ainda no Atlântico e em deslocamento lento" chegou a Portugal Continental.
Essa "supercélula", um tipo de tempestade que inclui uma corrente de ar ascendente girando no interior da nuvem, chegou em primeiro lugar a Lisboa e Setúbal e depois à zona do Algarve.
"Esse movimento lento determinou o granizo observado. Esse granizo extensivamente produzido deveu-se aos fortes movimentos verticais associados a supercélulas, que não permitiram a formação de cristais de neve, mas potenciaram a formação do gelo", acrescentou.
A meteorologista precisou que se tratam de aguaceiros, que variam no espaço e no tempo, e por isso a situação de queda de granizo pode ser diferente.
Madalena Rodrigues indicou, ainda, que a "tendência é para diminuírem as condições de instabilidade".
"Ainda pode ocorrer um aguaceiro ou outro, pontualmente de granizo e acompanhado de trovoada, mas com uma tendência para diminuir ao longo da tarde de hoje", disse à Lusa.
As previsões indicam que estes aguaceiros podem continuar ainda no sábado nas regiões do Sul.
confluência entre as avenidas Gago Coutinho e Estados Unidos da América, onde a água atingiu 50 centímetros de altura.
Também no Campo Grande e Alameda das Linhas de Torres houve dificuldades na circulação de trânsito e houve ainda registo de várias inundações em Chelas.
A forte chuva provocou alguns acidentes com motociclistas, nomeadamente no túnel da avenida João XXI, na avenida João XXI, junto ao Estádio de Alvalade, e outro junto à Escola Superior de Educação em Benfica, no sentido Benfica-Aeroporto.
A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) emitiu um alerta amarelo para o continente entre as 00:00 de hoje e as 20:00 de sábado, devido à previsão de precipitação, queda de neve, agitação marítima e vento forte.

sábado, 11 de janeiro de 2014

TRABALHO REALIZADO PELO 4º A - EB1 ALTO SOUTELO


SEGURANÇA  RODOVIÁRIA

 

Segurança Rodoviária

Devemos aprender

Porque é fundamental para crescer.

 

A Segurança Rodoviária tem de se manter

Para quem anda de carro

As suas vidas proteger.

 

Os sinais de trânsito

Eu vou respeitar

Para nunca, nunca me enganar.

 

Para com segurança

A rua atravessar

Para a direita e para a esquerda

Nós vamos ter que olhar.

 

Para viver com esperança

Devo a passadeira atravessar

Com toda a calma e segurança

E depois poder passar.

 

O cinto de segurança devemos usar

 Atenção, muita atenção

e claro,

Nada melhor que a prevenção!...

 

Somos passageiros

Do banco de trás

Quando vamos de carro

Brincar?!... isso não se faz!...

 

 

E.B. 1 Alto de Soutelo,  4º Ano: (Beatriz Pereira, Beatriz Solteiro,

Helena Isabel, Helena Moreira, Jéssica, Nuno)

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

MAU TEMPO - O QUE FAZER?





 
Estas imagens são da Foz, no Porto, mas um pouco por toda a costa o mau tempo fez-se sentir.
Do Norte ao Sul, desde esplanadas a restaurantes, até moradias particulares, tudo que foi atingido pela violência do mar e pelas ondas que chegaram aos 14 metros (altura de um prédio de 4 andares!), ficou destruído.
 
O Centro Distrital de Operações de Socorro manteve-se de prontidão todo o dia de ontem e esta madrugada. Hoje o dia foi passado em operações de limpeza e resgate.
 
A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:
 
  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias;
  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter especial cuidado na circulação junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Ondas gigantes põem costa portuguesa em alerta vermelho


 
A Europa ocidental deverá ser atingida neste início de semana por uma tempestade fora do normal, com ondas de grande dimensão. O “Black Swell” – como foi baptizada a tempestade pela comunidade surfista - começa a varrer as ilhas britânicas, Irlanda e Portugal a partir do meio-dia. As previsões de forte agitação marítima estão a pintar todos os distritos litorais a vermelho, o aviso mais grave dos quatro da escala do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Para os Açores, a situação é igualmente preocupante, com o IPMA a apontar ondas de 10 metros, o que coloca sete ilhas dos grupos Central e Ocidental também no vermelho.

Com o Atlântico fortemente agitado, em Portugal Continental são dez os distritos sob aviso vermelho, a saber: Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa, Setúbal, Beja e Faro. O IPMA conta com ondas de noroeste de sete a nove metros na orla costeira.

O aviso vermelho vai manter-se entre as 9:00 e as 23:59.

Por uma questão de precaução, também a Madeira ficará sob aviso laranja [desde as 6:00] até às 11:59 de amanhã, terça-feira.

Mas nem o interior do país escapa: os distritos Vila Real e Viseu ficam sob aviso amarelo, o segundo menos grave na escala.

Nestes distritos, é esperada nas terras altas chuva por vezes forte e vento do quadrante sul com rajadas da ordem dos 90 a 100 quilómetros/hora nas terras altas até às 11:59 de hoje.

Também devido à previsão de chuva, o distrito de Santarém fica sob aviso amarelo entre as 00:00 e as 16:59 de terça-feira.