sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Vaga de frio chega a Portugal


Vaga de frio chega a Portugal

               Depois de ter afetado outros países da Europa, a vaga de frio parece estar as chegar a Portugal, pelo menos a temperatura mínima já começou a descer. Nos próximos dias os termómetros vão registar temperaturas baixas e o vento será forte.

       Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, «uma vasta região anticiclónica, relativamente intensa», vai desencadear «o transporte de uma massa de ar muito frio e seco sobre o território do continente». Acresce «uma intensificação do vento, em especial no litoral oeste e nas terras altas», prevendo-se, por isso, «vento forte no litoral oeste e nas terras altas com rajadas até 80 quilómetros/hora”».
         «Adicionalmente, verificar-se-á uma descida dos valores da temperatura máxima em todo o território», entre três e seis graus Centígrados, adianta o IPMA, salientando que «as baixas temperaturas associadas ao vento forte aumentarão o desconforto térmico», especialmente entre a tarde de quinta-feira e a manhã do dia seguinte.
         
     O IPMA acrescenta que até domingo vai continuar a sentir-se o vento forte e com rajadas no litoral oeste e nas terras altas, com exceção de sábado, «em que se prevê um enfraquecimento temporário do vento».

      Neste dia, a «aproximação e passagem de um sistema frontal de fraca atividade poderá originar precipitação fraca na generalidade do território, com probabilidade entre 35 e 60 por cento a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela e inferior a 35 por cento a sul do referido sistema, que a ocorrer será sob a forma de neve em cotas baixas”.
       
Segundo o IMPA a precipitação vai ser pouca, «mas pode ser de neve em cotas relativamente baixas», apontando até a possibilidade de nevar «em sítios onde só aparece de década a década.

RECOMENDAÇÕES:

  • Mantenha o corpo quente, evite sair à rua e use mais agasalhos.
  • Beba muita água. Evite o café e as bebidas alcoólicas.
  • Aqueça bem a casa, mas mantenha-se atento: pode haver o perigo de incêndios e intoxicação.
  • Esteja atento aos doentes crónicos da sua família, especialmente se sofrerem de problemas respiratórios ou cardiovasculares.
  • Troque informações e conselhos com o seus colegas, amigos e vizinhos. Mantenha-se em contacto com eles.
  • Se viver em zonas remotas, tenha um rádio e uma lanterna à mão para o caso de o frio provocar problemas de rede e eletricidade.
  • Em caso de dúvidas, ligue para a linha Saúde 24.
O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) também lançou algumas diretivas para resistir ao frio:
  • Utilize várias camadas de roupa quente.
  • Vista peças que tapem as extremidades do corpo (como os dedos).
  • Vede bem as portas e janelas.
  • Consuma bebida e comida quentes.
  • Faça exercício físico que mantenha a circulação sanguínea ativa (mas não exagere).

Sem comentários:

Enviar um comentário